Itaú Cultural lança “Formação como curadoria: Literatura para crianças”

O curso, que busca sensibilizar educadores no processo de análise e seleção de obras literárias para crianças, pode ser acessado no site da Escola Itaú Cultural

Desde o último dia 16 de janeiro, já está disponível, no site da Escola Itaú Cultural, o curso “Formação como curadoria: Literatura para crianças”, que pode ser acompanhado de modo autoformativo. As aulas, com duração total de quatro horas, são voltadas para formadores e professores da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Do mesmo modo, para educadores e instrutores de salas de leitura, profissionais de bibliotecas, pesquisadores e interessados em geral.

Organizado pelas equipes do Itaú Cultural e do Itaú Social, o programa parte do pressuposto de que a curadoria para e com as crianças é de grande responsabilidade. Evidentemente, pelo fato de a atividade estar diretamente ligada à ideia de que tipo de leitor será formado. Em especial, se o objetivo for a formação de crianças leitoras com amplo repertório estético e cultural e pensamento crítico, Tal qual, que construam empatia.

Objetivo e recursos

“A formação oferece inspiração e estratégias para educadores no processo de curadoria de obras literárias para crianças. Desse modo, permite que realizem seleções enriquecedoras e alinhadas com a necessidade e interesse das crianças”, diz Juliana Yade, coordenadora de Educação Infantil do Itaú Social. “Acreditamos que essa interação favorece a experiência leitora tanto das educadoras como das crianças. Do mesmo modo, pode estimular a imaginação, desenvolver habilidades cognitivas e criar uma conexão de afeto duradoura com a leitura”, completa.

Assim, oferecendo recursos como vídeos, podcast e PDFs, o objetivo de “Formação como curadoria: Literatura para crianças” é demonstrar a importância da curadoria e mediação do livro de literatura para crianças; oferecer repertório teórico e ferramentas práticas para isso. Por fim, abrir para discussão para as possibilidades de formar um público leitor desde a infância.?

Com conteúdo teórico e prático, o conjunto da formação proposta pelo Itaú Cultural apresenta o que é curadoria. Tal qual, debate como se pode formar leitores e introduz o conceito de direito à literatura, formulado pelo crítico literário Antonio Candido. Assim, intenta priorizar o papel das próprias crianças na escolha do próprio caminho como leitores, as aulas trazem variados tópicos. Entre eles: Apresentação; Para começar a discussão; Qualidade literária?; Quem é a criança para qual apresentamos a literatura??; O que confere qualidade às obras literárias??; Atividade prática?; Quem faz a curadoria??; Encerramento.

Por fim, o curso do Itaú Cultural indica uma série de materiais para aprofundar o horizonte aberto pelas aulas e, desse modo, estabelecer uma relação contínua com as obras literárias. Ainda, apresenta dicas para uma boa curadoria. Por exemplo, diversificar os temas, buscando autores com diferentes vivências e trajetórias (mulheres, homens, brasileiros, estrangeiros, brancos, negros, indígenas) e livros de gêneros variados (conto, novela, poesia, do clássico ao contemporâneo). Importante, também, não subestimar a criança, procurando selecionar livros que não menosprezem a capacidade dos leitores.

Diversidade em pauta

Outra dica do curso do Itaú Cultural é pensar nas imagens para priorizar livros que ampliem o repertório estético das crianças. Desse modo, observando como as ilustrações e o texto dialogam entre si e se complementam. Ainda fugir de estereótipos e preconceitos, sempre apresentando livros que abordem, sob uma perspectiva afirmativa, a diversidade. Seja ela de gênero, raça, origem/nacionalidade, religiosa e de inclusão de  pessoas com deficiência.

Em outras palavras, livros que tratem de preconceito e exclusão social – e das dificuldades e violências surgidas daí – são ótimas opções. Todavia, também é importante escolher aqueles que retratem a vida das pessoas para além da discriminação. Ou seja, com personagens que experimentam o cotidiano e têm experiências comuns.

Engajamento e leitura conjunta

A quinta e  última dica é acolher diferentes formas de participação, levando em conta as diversas possibilidades de conversa que os livros apresentam. Do mesmo modo, é importante considerar, também, obras que possam mobilizar o engajamento e a leitura conjunta. Caso, por exemplo, das que apresentam a repetição de uma frase ou de um trecho ao longo da história. Assim, as crianças participam dos momentos de leitura de muitas maneiras – quietas, observando o mediador, repetindo as palavras, conversando com os personagens, escutando enquanto brincam, em pé, dançando de olho no livro.

Serviço

Curso “Formação como curadoria: Literatura para crianças”
Disponível no site oficial Escola Itaú Cultural
Duração: 4 horas

Filtro Categorias

Artigos relacionados

Conceição Evaristo é a nova imortal da Academia Mineira de Letras

Conceição Evaristo é a nova imortal da Academia Mineira de Letras

PMC do IBGE aponta queda de 4,5% no setor de livros e revistas em 2023

PMC do IBGE aponta queda de 4,5% no setor de livros e revistas em 2023

‘Café com Deus Pai’ para crianças e Selton Mello estreiam na Lista Nielsen PublishNews

‘Café com Deus Pai’ para crianças e Selton Mello estreiam na Lista Nielsen PublishNews

“Um Defeito de Cor”: romance eleva-se nas vendas após desfile da portela no carnaval

“Um Defeito de Cor”: romance eleva-se nas vendas após desfile da portela no carnaval

A literatura brasileira desfilou nos sambódromos no carnaval de 2024

A literatura brasileira desfilou nos sambódromos no carnaval de 2024

Shopee começa a se destacar na venda de livros com preços atrativos e promoções de frete grátis

Shopee começa a se destacar na venda de livros com preços atrativos e promoções de frete grátis